Alguns cientistas da atualidade têm afirmado que o ser humano é o resultado positivo de muitas e muitas combinações que aconteceram por acaso entre átomos e moléculas após o nascimento de nosso Universo, quando a energia foi transformada em matéria no “Big Bang” (veja o post anterior “O Limite da Ciência”).

O livro “A Criação Imperfeita” do físico e astrônomo prof. Dr. Marcelo Gleiser, brasileiro, pesquisador da universidade Darthmouth College nos EUA, afirma que nosso Universo nos criou através de sua imperfeição, através seus processos assimétricos, desbalanceados, irreversíveis, violentos, caóticos, probabilísticos, enfim, acontecimentos imprevisíveis e acidentais que resultaram na formação da vida em caráter especial e único. Por esse motivo, afirma Gleiser, precisamos e devemos valorizar a vida, porque ela foi originada contra todas as probabilidades de ocorrer e despontou como algo maravilhoso e especial que precisa ser perpetuado.

“O surpreendente na natureza não é a sua perfeição, mas o fato da matéria, após bilhões de anos, ter evoluído a ponto de criar entidades capazes de se questionarem sobre a sua existência”. Marcelo Gleiser

Podemos citar outros cientistas influentes como Stephen Hawking e o falecido astrônomo Carl Sagan famoso pela série de televisão “Cosmos”, que também escreveu o livro “bilhões e bilhões” entre outros, na lista daqueles que acreditam que o ser humano provém exclusivamente das interações físicas, químicas e nucleares da matéria, de um modo aleatório.

Demócrito, o filósofo que postulou a existência de átomos, partículas invisíveis e indivisíveis cerca de 400 A.C. foi um dos primeiros materialistas, aqueles que têm suas idéias centradas na matéria, ele cria que os átomos da alma se desintegrariam no momento da morte e, portanto, não acreditava na imortalidade da alma.

Aqui nós vamos supor que os materialistas estão certos e veremos até onde podemos chegar com essa idéia e suas hipóteses. Peço ao leitor que acompanhe passo a passo o raciocínio e se divirta com a ficção científica que vamos propor, a qual será utilizada apenas como ilustração para o desenvolvimento e a conclusão das idéias apresentadas por eles, mas que não muda o caráter indutivo do texto. Para você leitor desejo neste momento uma boa viagem !

Veja também: O Limite da Ciência: יהוה

continuação: “O principio da incerteza no multiverso”