O objetivo deste Blog não é falar sobre religião, mas sobre assuntos ligados ao desenvolvimento humano. Nesse aspecto, surgiu durante a elaboração de vários posts a necessidade de pontuar a influência do pensamento no comportamento social e este na sobrevivência da espécie humana. O assunto religião, assim, ficou evidente através de suas interfaces com a ciência e pela crítica que tem sido feita à determinados grupos fundamentalistas, extremistas e radicais, que tem se tornado cada dia mais evidentes.

Surgiu então o post “Ciência e Religião podem Coexistir ?”.

Aqui, para finalizar o assunto, apresento um interessante paralelo entre o capítulo 1 do livro de Gênesis, que narra a criação e o que a ciência tem descoberto até o momento sobre a evolução de nosso sistema solar e a formação da terra.

O leitor poderá observar após a leitura do arquivo em pdf (clique no link “Gênesis” abaixo) que não há porque polemizar debatendo-se cientificamente assuntos religiosos ou religiosamente assuntos científicos, exceto em algumas “janelas”, que se abrem quando um texto religioso passa a ser descritivo de uma realidade objetiva.

A comparação nesse caso pôde ser feita porque o Capítulo 1 é uma dessas “janelas” possíveis, onde o texto apresenta uma narrativa objetiva e sequencial da criação, o que na maioria das vezes não ocorre (no capítulo 2 por exemplo), tornando impossível nesse caso qualquer correlação com a ciência e portanto qualquer debate científico sobre o texto.

Ir além disso significa penetrar em áreas sombrias, comparando e misturando espécies diferentes, algo que a matemática elementar não permite e nem o próprio texto de Gênesis quando diz que Deus criou espécies para que elas não se misturassem geneticamente reinando o caos e a confusão (imaginem que monstros haveriam se as espécies cruzassem entre si !).

Após a leitura ficará evidente como o texto religioso trata simplificadamente os assuntos científicos, e não haveria como nem porquê ser diferente. Ele não se precupa com fatos e detalhes fora de seu propósito principal que é a revelação dos princípios morais e espirituais e, assim sendo, torna-se necessária uma análise semântica apurada para entender o que ele está dizendo, para que não seja interpretado e seguido “ao pé da letra” e se possa discernir quando há uma simples narrativa, ou descrição e quando o texto está utilizando recursos e figuras de linguagem para ilustrar verdades espirituais de difícil compreensão à luz da experiência do cotidiano.

Pessoalmente, entendo que Deus preferiu separar ciência e religião, a ciência para ajudar o homem a trabalhar, “arando a terra com o suor de seu rosto” de modo a “dominar sobre toda a criatura” exercendo uma liderança responsável e a religião para aqueles que buscam na essência encontrar “o caminho, a verdade e a vida”.

Ciência e religião são para todos. Gênesis – clique aqui para baixar o arquivo pdf

Gênesis: análise do texto pelo autor…